Mira o Mar, Miraflores, Mira Lima

Quando o Fá escolheu Machu Picchu como destino, eu não imaginei que viveria tantas coisas boas antes de chegar lá. Lima foi uma dessas coisas boas.

O Centro Histórico  é um belo centro, com problemas comuns aos centros. Caminhamos e observamos a correria da população e dos turistas. É caminhando que se conhece melhor um lugar. O destaque fica para La Catedral.

Miraflores é exatamente como Mario Vargas Losa me contou. Aqui o verbo não é caminhar, o verbo é flanar…

Gatos no Parque Kennedy. Instrumentos musicais na Calle Cantuarias (nunca vi tanto cajon junto!). Ceviche no restaurante Pescados Capitales (não se preocupem o único pecado que cometemos foi o da gula). Observar o mar  no Parque del Amor e no Lacomar, um shopping center que, na minha opinião não serve para compras, mas para ver o mar.

Me encantei com o Pacífico, a bruma não tão leve e o sabor de pisco sour.

_DSC5112_DSC5094_DSC5182_DSC51433_DSC5159_DSC51494_DSC5090_DSC5084_DSC50822_DSC5076_DSC5070_DSC5198_DSC52181_DSC5258_DSC5265_DSC5252

Fora e dentro

A fotografia é uma desculpa. É uma boa desculpa para conhecer lugares novos, conhecer pessoas novas, me conhecer melhor, conhecer melhor quem eu já conheço e além de tudo dar muitas risadas.

Fotografar a Josy foi só uma desculpa para nós rirmos juntas!

Com a Josy é assim: sempre há motivos para rir, sempre há o que conversar, sempre há algo comum, não há cobranças, não importa o tempo, nem a distância. Com ela eu aprendi a me conhecer melhor e a correr atrás do que realmente importa.

Há pouco tempo conheci uma pessoa que já conhecia a Josy. Essa pessoa me disse que eu e a Josy nos parecíamos muito, que era o “mesmo jeito”.  A semelhança não é física, mas eu fico feliz por me parecer com ela, pois ela é linda!

Linda por fora e por dentro.

post josy

Vento no litoral

Deitar nas pedras, sentir o vento, fechar os olhos… ouvir as ondas quebrando, o barulhinho bom da espuma… Contemplar… Como pude não compor um folk!

Não tem problema, trouxe comigo toda inspiração que preciso, porque quando você vê o mar existe algo que diz que a vida continua e se entregar é uma bobagem.

O mar é continuidade, movimento, onda, vibração, som. É renovação, ondas formando e quebrando, a maré subindo e descendo. Assim é a vida, feita de movimento, feita de ciclos. Você pode escolher ficar parado ou partir para um novo ciclo. Uma nova onda.

As fotos são o Resumo da Ópera de bons dias de abril em  Bombinhas e Floripa, ora em contemplação, ora em movimento e sempre com gratidão.

floripa3

Divirta-se!

Não precisamos de muito para nos divertir.

É claro que viajar é divertido e ganhar na loteria também deve ser muito legal… Mas jogar conversa fora com quem a gente gosta, tocar violão, enrolar brigadeiro, comer pastel na feira… Diversão garantida!

Seja onde for, você vai se divertir esticando um pano na grama. Vai ficar deitado olhando para o céu, para a paisagem, vai ler um bom livro… Vai comer o bolo que cresceu, ficou cheiroso, gostoso e te deixou contente. Vai ficar junto de quem ama…

Eu e a Cris esticamos uns panos na grama, lá em Martinópolis. O resto da diversão ficou por conta da linda e risonha Isadora.

Eu só não sei quem se divertiu mais com a chuva de papel picado: eu, a Cris ou a Isadora. Tudo bem, eu confesso, acho que fui eu.

post isadora9meses

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.